Notícias

Cruz das Almas: em coletiva, membros da CPI da saúde falam sobre falsa médica e as investigações

*Crédito da Foto: Roger Cerqueira/InformeCruz

Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (30), realizada na Câmara de Vereadores a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), que investiga a responsabilidade de possível erro médico, em Cruz das Almas, no Recôncavo da Bahia, que resultou na morte do paciente Ronaldo Conceição Teles, no dia 5 de abril, no Centro de Covid, apresentou alguns dados novos e outros que já haviam sido divulgados em parte da mídia da cidade durante o fim da semana.

De acordo com a Comissão, a situação principal no momento, é o fato de alguém ter falsificado a assinatura da médica Alana Moreira Sena Ferreira, que diz nunca ter trabalhado em Cruz das Almas (confira link do Vídeo no final deste texto) e assinado o atestado de óbito de Teles. Por isso, a investigação agora foca em descobrir a verdadeira identidade de quem cometeu o possível crime de falsidade ideológica.

Em entrevista ao programa Bom Dia Cidade, da Rádio Excelsior Recôncavo FM, também na manhã desta segunda-feira, a Superitendente de Atenção à Saúde do Município, Kaliane Ferreira afirmou que a contratação da suposta médica Alana, foi de responsabilidade do coordenador médico, na ocasião, doutor Henrique Calhau. Ela falou ainda, ser possível o município ter sido vítima dessa falsa profissional.

Também em nota enviada à imprensa, a Secretaria de Saúde esclarece que está tomando as providências para apurar os fatos e punir os responsáveis (confira também abaixo, a íntegra da nota oficial).

Segundo o presidente da CPI, vereador Paulo Sérgio dos Santos (Paulinho Policial – PSD), a Comissão enviou alguns ofícios ao médico Henrique Calhau, visando obter informações sobre a sua contratada, porém, não obteve êxito. “Salientamos que o doutor Henrique Calhau, já é o terceiro ofício que enviamos pra ele. Mas ele não responde aos ofícios, nem dá uma satisfação à essa Comissão“, cobrou ele.

Paulinho Policial informou também, que pelo fato de a Secretaria de Saúde ter atrasado o enviou de documentos solicitados, houve a necessidade de prorrogar a CPI por mais noventa dias. E sinalizou, que além do caso da doutora Alana, a Comissão está apurando outros quatro casos semelhantes.

Responsabilidade

A CPI ouve a que considera ser a verdadeira doutora Alana Ferreira. Crédito da Imagem: Reprodução Divulgação

Sobre a atuação da falsa médica, a Comissão deixou claro que o Ministério Publico será acionado e tanto a Secretaria da Saúde, quanto a suspeita envolvida, serão responsabilizados. O presidente Paulo Sérgio, disse ter sido informado de que os médicos possuem um grupo no Whatsapp, onde se comunicam e indicam um profissional para substituir o outro, em caso de necessidade.

Ainda sobre esse caso, o secretário da Comissão, Carlos Trindade (PP), reforçou: “Sem sombra de dúvidas, que a responsabilidade é da gestão [municipal]. Lógico que não isenta a falsa médica, também responder por isso. Porque a pessoa não pode se passar por outra, é falsidade ideológica. Isso é crime…”.

Por sua vez, o relator, vereador Pedro Melo (PT), disse que a Comissão já ouviu cerca de 15 testemunhas, entre vítimas de falhas no processo de vacinação, familiares do homem morto e profissionais da área da saúde.

Nova reunião está prevista para a próxima quarta-feira (1º de setembro), para contnuar ouvindo outros membros do setor de saúde, entre eles, o secretário Sandro Borges.

Clique aqui no link e confira o vídeo com o depoimento da doutora Alana Moreira à CPI.

Nota da Secretaria

Crédito da Imagem: Reprodução Ilustrativa

Diante do fato veiculado em sites e redes sociais, a Secretaria de Saúde informa que, até o momento apenas teve conhecimento de que uma falsa médica teria atuado no Centro de Covid-19 do Município, através das notícias divulgadas pela imprensa, bem como através de um vídeo publicado nas redes sociais da Câmara de Vereadores, que em momento algum comunicou oficialmente o caso.

Entretanto, mesmo não tendo nada formalizado, mas diante da gravidade da denuncia, a direção médica da Secretaria de Saúde do Município iniciou uma investigação para apurar a veracidade dos fatos, registrando, inclusive, um boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia local, e também formalizando ao CREMEB o ocorrido, haja vista saber-se apenas que, no dia 04 de abril de 2021, a médica de nome Alana Maria Sena Ferreira, deu o plantão na Unidade de Referência para Covid-19, em substituição a uma médica do quadro oficial da Secretaria, à revelia do conhecimento da Diretoria Médica e do Secretário, apesar das várias etapas estabelecidas para evitar burlas e infrações.

Até tomar conhecimento da suposta fraude, através da reportagem, a atitude era vista como uma conduta administrativa, para que o plantão não ficasse à descoberto. Na unidade consta a passagem da médica, acima referida, como plantonista substituta, sem a mesma ter frequentado as unidades de saúde em outras ocasiões, e não obtendo nenhum vínculo com o município.

Vale ressaltar que o município acionou o seu corpo jurídico para apurar os fatos, atinentes a um possível golpe com médico falso, que infelizmente tem ocorrido em vários municípios baianos.

A Secretaria de Saúde preza sempre pela transparência e pela qualidade de serviços oferecidos e está imbuída em esclarecer o fato e levar a verdade à população, eis que, caso se concretize a denúncia, também fora vítima de uma fraude.

Secretaria Municipal de Saúde

Deixe seu comentário... é importante para nós!

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: