Notícias

Igreja do Bonfim: por conflito interno e acusação de desvio de dinheiro, arcebispo afasta juiz da Irmandade

Uma intervenção na Irmandade do Bonfim que culminou com o afastamento do juiz da Irmandade Jorge Nunes Contreiras, foi decretada pelo arcebispo de Salvador, cardeal Sérgio da Rocha.

A Arquidiocese de São Salvador da Bahia, após empenhar-se através da Comissão de Mediação, constituída por decreto do Cardeal Arcebispo, Dom Sergio da Rocha, desde o dia 02/06/2023, com o intuito de resolver os conflitos surgidos na Devoção do Senhor do Bonfim através do diálogo e da busca da comunhão eclesial e tendo se esgotado as possibilidades de entendimento para o fim dos conflitos, vem comunicar a nomeação do Revmo. Côn. José Abel Carvalho Pinheiro, como interventor na Devoção do Senhor Bom Jesus do Bonfim, com o apoio de uma Equipe”, diz trecho de um comunicado da Arquidiocese, divuldado nesta sexta-feira (4).

De acordo com o portal Metro1, o imbróglio se deu por conta de uma alegação do padre Edson Menezes, de que se sentia perseguido pela Irmandade. Segundo a matéria, a “entidade chegou a afirmar em nota que o padre teria embolsado R$ 50 mil, acusação rechaçada pelo reverendo…”. O episódio teria ocorrido em maio deste ano.

Sobre essa questão, a própria Arquidiocese publicou uma nota oficial no mesmo mês. Entre outras coisas, o longo texto dizia que o padre estaria proibido de continuar recebendo as coletas e parte das arrecadações da igreja.

Por sua vez, o padre Edson chegou a negar as acusações. “[A verdade] não é o que eles dizem. Eles publicaram ontem uma nota que não é verdadeira, dizendo que eu embolso da Igreja do Bonfim R$50 mil por mês e isso não é verdade. Eu tenho o contracheque do salário que eu recebo”, declarou ele em entrevista ao Metro1. (Foto: Divulgação/Arquidiocese de São Salvador)

Deixe seu comentário e compartilhe

Botão Voltar ao topo