DestaqueNegóciosNotícias

Profissionais formados em cursos técnicos teem salários 32% maiores que os de ensino médio; diz pesquisa Itaú Educação e Trabalho

Um estudo do Itaú Educação e Trabalho, elaborado pelos pesquisadores Marcelo Santos, Sergio Firpo, Vitor Fancio e Clarice Martins, publicado nesta terça-feira (11), afirma que a EPT (Educação Profissional e Tecnológica), tem um impacto significativo na vida profissional dos trabalhadores brasileiros, com consequências positivas para a economia do país.

Se triplicado o acesso ao ensino médio técnico no país, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro poderia registrar aumento de até 2,32%, resultado decorrente da maior empregabilidade e rentabilidade promovida aos trabalhadores a partir da formação profissional“, revela a pesquisa Potenciais efeitos macroeconômicos com expansão da oferta pública de ensino médio técnico no Brasil, que objetiva ‘examinar as consequências macroeconômicas da expansão do ensino técnico médio no país‘.

Outras constatações, são de que os profissionais com o ensino médio técnico ganham, em média, 32% a mais do que aqueles que possuem apenas o ensino médio tradicional. Além disso, a taxa de desemprego entre os técnico é de 7,2%, contra 10,2% para os trabalhadores formados só no ensino médio.

O poder público, o setor produtivo e a sociedade em geral precisam valorizar e investir na ampla oferta qualificada da EPT, modalidade de ensino que está alinhada com as tendências do mundo do trabalho, oferece oportunidades de inserção digna produtiva para os jovens e contribui com o progresso do país. É urgente colocar a Educação Profissional e Tecnológica no centro da estratégia de desenvolvimento socioeconômico brasileiro”, avalia Ana Inoue, superintendente do Itaú Educação e Trabalho.

O pesquisador Sergio Firpo, que conduziu o estudo, ressalta a importância da formação técnica qualificada. “O estudo mostra que a expansão do ensino médio técnico não é neutra, pois ela tem um efeito de redutor da desigualdade de renda, pois aumenta a oferta de trabalhadores com qualificação”, diz ele.

Apesar do potencial constatado na EPT, a pesquisa mostra que o Brasil ainda investe pouco nesse modelo de profissionalização. “Nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), há elevada oferta de ensino técnico, alcançando, em média, 32% dos concluintes do ensino médio. No Brasil, a EPT atende a apenas 8% do total de concluintes do ensino médio no país“, (Foto: Reuters via BBC). Confira os dados completos clicando aqui.

Deixe seu comentário e compartilhe

Botão Voltar ao topo